Translate, traduzir

Pecados e virtudes V



Muitas igrejas e religiões, embora sejam apresentadas como santas para a sociedade, estão carregadas de pecados. Multidões estão lá, entre quatro paredes, cometendo muitos erros, porque lhes faltam conhecimentos. Mas muitos, principalmente líderes, sabem a verdade, mas preferem ficar calados. Preferem desobedecer à verdade, decidem omiti-la, pois ela, a verdade, pode afastar as pessoas de seus redis. Muitos não são semeadores da verdade, mas são proselitistas ou marqueteiros, procurando muitos adeptos e clientes. Por isso, falam e fazem apenas aquilo que possa atrair muitas pessoas para as suas instituições e negócios. Muitos estão pregando o evangelho do reino... de homens.

Vimos que os nossos erros ou pecados podem ser classificados em nove grupos. Eles podem também ser divididos em três tipos:

Tipos de erros:

·         Erros de ignorância ou por falta de conhecimentos.
·         Erros de desobediência ou transgressões.
·         Erros de omissão ou por falta de boas atitudes.


clip_image002
Descrição: Consumismo. Data: agosto 2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Erros de ignorância. A ignorância nos faz errar. Nesse caso, erramos, não porque queremos, mas por causa da falta de conhecimento da verdade, por descuido ou por desatenção. Nossas falhas, nesse sentido, podem também ser chamadas de erros culposos. Temos culpa nos erros cometidos, mas não tivemos a intenção de cometê-los. Exemplos: muitas pessoas estão consumindo demais, ou melhor, estão desperdiçando e não sabem que estão contribuindo com a devastação da Terra. Não percebem que o planeta está agonizando. Muitos estão se alimentando de qualquer coisa, porque não sabem quais são os alimentos que realmente são bons para a saúde do corpo. Muitos ficam endividados, porque não sabem fazer um controle financeiro. Muitos estão cometendo muitos erros nas igrejas e religiões porque são iludidos com a mentira.


clip_image004
Descrição: Ultrapassagem proibida. Data: agosto 2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Erros de desobediência. Quando conhecemos a verdade, sabemos dos riscos e mesmo assim agimos, então, estamos cometendo desobediência, ou seja: não estamos nem ai por causa dos resultados. Estamos assumindo os riscos. Nossas falhas nesse sentido podem ainda ser chamadas de erros dolosos. Temos culpa nos erros cometidos e fizemos isso de propósito ou intencionalmente. Exemplo: quando alguém ultrapassa o veículo em local perigoso, mesmo depois de ver uma placa de regulamentação e uma faixa contínua. A pessoa sabe que poderá causar um acidente, entretanto, vai em frente. Outro exemplo: Muitos sabem que a droga causa dependência, doenças físicas e mentais e muitos outros males, mas procuram usá-la mesmo assim. Muitos, nas igrejas e religiões, principalmente líderes, sabem que estão errados, mas preferem manter o erro por conveniência.


clip_image006 
Descrição: Omissão. Data: julho/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Erros de omissão. Quando podemos fazer alguma coisa para evitar problemas, para ajudar e não fazemos, estamos nos omitindo. Nossos pecados, nesse sentido, podem ser chamados de erros de omissão. Temos culpa porque não ajudamos a evitar problemas. “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.” (Tiago 4.17, RC.) [1] Exemplos: Vejo uma pessoa se afogando e apenas fico olhando de braços cruzados. Tenho condições de ajudar um necessitado e não o ajudo. Posso passar essa mensagem para outras pessoas, mas não faço nada. Muitas coisas erradas nas igrejas e religiões poderiam ser sanadas se muitos não se omitissem.

Resumindo: erramos quando não temos conhecimento suficiente, quando desobedecemos a certos conhecimentos ou quando nos omitimos de fazer o que é certo.

Não conheça instituições religiosas e eclesiásticas: conheça a verdade. Não obedeça a líderes religiosos: obedeça a verdade. Não se omita para agradar os seus líderes e instituições religiosas: diga e siga a verdade. Em todas as áreas de sua vida: área mental, fisiológica, ambiental, tecnológica, social, comercial, recreativa, sexual, conjugal e religiosa, procure saber a verdade, obedeça ao que é verdadeiro e não seja omisso.

Continuaremos no próximo post.

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, juntamente com essa informação final, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br

Pecados e virtudes IV



Muitos pregadores vivem falando apenas de drogas, adultério, idolatria, bebedice e mais algumas coisas, como se pecado fosse um listinha de erros. Mas é difícil criar uma lista de preceitos, estabelecendo o que a pessoa pode ou não pode fazer. É difícil, porque uma atitude, para ser pecado, vai depender do propósito, do tempo, do lugar, da pessoa, da medida e do modo. Muitas atitudes podem ser ou não ser pecado, dependendo desses fatores. Por isso, é praticamente impossível citar todos os erros da face da terra. Mas podemos classifica-los em alguns grupos principais.


image
Descrição: Os erros são muitos. Data: Julho/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Classes de erros ou pecados.  Os nossos erros ou pecados podem ser classificados de acordo com as nossas necessidades. Assim temos erros mentais, fisiológicos, ambientais, tecnológicos, sociais, comerciais, recreativos, sexuais, conjugais e religiosos. Cada erro que cometemos se encaixa em uma ou mais dessas áreas.

Erros ou pecados
Exemplos
Mentais
Ignorância, desinformação, imaturidade, ingenuidade, estupidez, ambição, obstinação, irreflexão, imprudência, afobação, irresistência, desobediência, engano, ilusão, ressentimento, preocupação...
Fisiológicos
Sedentarismo, glutonaria, bebedice, drogas, falta de segurança, desnutrição, uso abusivo de medicamentos, automedicação, excesso de vaidade, excesso de trabalho, falta de descanso e lazer, falta de prevenção, uso abusivo de produtos químicos...
Ambientais
Poluição do ar, poluição das águas, desmatamento, extinção de espécies, queimadas, destruição de matas ciliares, caça e pesca descontrolada, maus tratos de animais, biopirataria, destruição do solo, desencadeamento de erosões, provocação de assoreamentos, uso de produtos não biodegradáveis...
Tecnológicos
Superprodução, poluição tecnológica, danos tecnológicos, concentração tecnológica, tecnologias insustentáveis, tecnologias que causam danos ambientais e sociais...
Sociais
Egoísmo, inveja, desrespeito, soberba, desprezo, zombaria, humilhação, inimizade, intriga, calúnia, difamação, injúria, maldição, intolerância, perseguição, xenofobia, preconceito, ódio, insolidariedade, discriminação, dominação, escravização, racismo, desamor, imisericórdia, abandono, omissão, injustiça, impaciência, desonestidade, brutalidade, arrogância, violência, exploração, violação de direitos, engano, charlatanismo, constrangimento, roubo, homicídio, e centenas de outros males.
Comerciais
Opulência, ganância, avareza, fraude, oportunismo, abuso de poder econômico, consumismo, concorrência desleal, monopólio, cartel, sabotagem, publicidade abusiva, desperdício, endividamento, calote, concentração de rendas, desigualdade social, trabalho infantil, nepotismo, excesso de trabalho, superfaturamento, suborno, produção e tráfico de drogas, falsificação...
Recreativos
Trotes, zombaria, poluição sonora, bebedice, glutonaria, falta ou excesso de divertimento, entretenimentos que estimulam a violência, entretenimentos que causam danos sociais e ambientais, artes que fazem apologia às coisas erradas, sadismo ou prazer com o sofrimento alheio, chacotas, desordens, exibicionismo...
Sexuais e conjugais
Abuso sexual, pedofilia sexual, necrofilia, zoofilia, incesto, comercialização do sexo, prostituição, tráfico de mulheres, celibato forçado, infidelidade, adultério, tabu, estupro, mutilação, sadismo ou prazer sexual com atos de violência, abandono de filhos, sensualidade, assédio, intolerância, ciúme, agressões domésticas, crime passional...
Religiosos
Dominação, ritualismo, idolatria, antropolatria, legalismo, falsidade, flagelação, santimônia, orgulho, hipocrisia, abuso da fé, crendice, preconceito, ódio, discriminação, intolerância, partidarismo, vilipêndio, injúria, blasfêmia, profanação, deboche, irreverência, perseguição, fanatismo...


Como podemos ver, é impossível criar uma lista de preceitos, para controlar a vida de quem quer que seja. Cada pessoa precisa adquirir consciência para entender o que deve e o que não deve ser feito, quando e onde, essa ou aquela atitude deve ser praticada ou evitada, qual a medida de certas ações e assim por diante.

Classes de virtudes. Da mesma forma, nossas virtudes podem ser classificadas como mentais, fisiológicas, ambientais, tecnológicas, sociais, comerciais, recreativas, sexuais, conjugais e religiosas. Exemplos:

Virtudes
Exemplos
Mentais
Fé, sabedoria, arrependimento, perdão...
Fisiológicas
Atividades físicas, boa alimentação, segurança...
Ambientais
Preservação, reflorestamento, despoluição...
Tecnológicas
Uso de tecnologias para proteção do meio ambiente, para ajudar pessoas, para melhorar a nossa saúde...
Sociais
Amizade, tolerância, solidariedade, respeito...
Comerciais
Preços justos, pagamento das dívidas, comércio de produtos e serviços bons...
Recreativas
Diversões saudáveis e edificantes...
Sexuais e conjugais
Respeito sexual, fuga do adultério, combate à pedofilia...
Religiosas
Reverência, tolerância religiosa, liberdade religiosa...

São apenas alguns poucos exemplos. Há muitos pecados e muitas virtudes nas diversas áreas da vida. Como vimos anteriormente, uma ação, para ser considerada como um pecado ou uma virtude, vai depender de vários fatores como: o propósito dela, quando ela será realizada, o lugar em que ela será praticada ou a pessoa com quem ela será feita, a medida ou intensidade dela e o modo como ela será posto em execução. Por isso, precisamos sempre usar o bom senso para podermos administrar todas as nossas ações. Precisamos agir sempre com sabedoria, para não sairmos do caminho certo. Não podemos agir baseados em modismos, tradições e regras religiosas. Liturgias, rituais e preceitos não vão nos ajudar em nada. Precisamos sempre de sensatez e direção espiritual.


Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, juntamente com essa informação final, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br

Pecados e virtudes III

 

Continuação do post anterior.

 

Livres dos Fardos Religiosos

 

Muitos acham que estão no caminho certo simplesmente porque seguem certos preceitos religiosos, cumprem seus rituais e seguem suas tradições, estão numa religião ou numa igreja institucionalizada, seguem um pastor ou um padre, possuem suas devoções, suas crenças... Mas muitos, apesar da religiosidade, estão se desviando do alvo certo, por causa da má administração da vida. Para evitarmos erros ou pecados, precisamos aprender a administrar as nossas ações, procurando fazer tudo com propósitos certos, no tempo certo, nos lugares certos ou com as pessoas certas, nas medidas e nos modos certos.

 

 

image

Descrição: Nossos controles e descontroles. Data: agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Nossa administração da vida. Os animais nascem com impulso natural e involuntário, chamado de instinto. Eles agem de modo inconsciente, sem nenhum aprendizado, em busca das coisas que lhes são necessárias. Mas nós somos diferentes. Possuímos inteligência e podemos agir consciente e voluntariamente, a fim de satisfazer as nossas necessidades, dentro das diversas circunstancias. Não somos uma máquina programada, vendo tudo acontecer automaticamente. Somos seres humanos, e cada um é responsável pela sua vida neste planeta. Cada pessoa precisa saber controlar seus pensamentos e suas atitudes. Temos que usar a nossa mente, o nosso corpo e recursos tecnológicos, todos os dias, para satisfazer as nossas necessidades. Para que possamos evitar os diversos tipos de erros com as suas consequências desagradáveis, precisamos aprender a administrar bem as nossas necessidades, os nossos desejos e as nossas ações. Para que tudo dê certo, precisamos manter o controle ou equilíbrio de todos os nossos pensamentos e de todas as nossas atitudes. Quando uma pessoa nasce, ela é uma criança inocente, sem maldades, dependente, isenta de responsabilidades, no estado de pureza divina. Mas, na medida em que vai crescendo, vai perdendo a sua inocência, e começa a surgir a necessidade de aprender a dirigir a sua vida dentro do caminho certo. Para que a nossa vida esteja bem sintonizada no caminho certo, precisamos aprender a controlar as nossas necessidades, os nossos desejos e as nossas ações, para não errarmos e sofrermos as consequências desagradáveis. Não podemos sair por ai, de qualquer maneira, tentando saciar os nossos desejos, fazendo as coisas de qualquer jeito. Tudo tem que ser administrado corretamente, para que a gente possa permanecer no caminho certo.

 

O ALVO DESEJADO

O ALVO ERRADO

image

O ALVO ERRADO

 

 

Pecado: desvio do bom caminho

Descrição: Pecados e virtudes. Data: julho/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.   

 

Nossos pecados. Quando não aprendemos a administrar as nossas necessidades, os nossos desejos e as nossas ações, cometemos muitas falhas. Nossos erros (pecados) e acertos (virtudes) dependem da maneira como administramos a nossa vida. Nada é mal ou errado em si. Tudo depende do propósito, do tempo, do lugar, da pessoa, da medida e do modo. Os erros acontecem por falta de administração da vida ou falta de controle. Os erros surgem quando agimos de qualquer maneira, de forma descontrolada. Não existe ninguém que consiga manter um controle rigoroso de tudo, cem por cento, a ponto de não cometer nenhuma falha. Como disse Paulo, numa carta escrita para os romanos, todos nós erramos por mais corretos que sejamos. Não há ninguém justo. Todos nós nos extraviamos. Todos nós somos pecadores. (Romanos 3.9-10, 23.) [1] E João declarou: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.” (1 João 1.8, RC.) [2] Mas algumas pessoas vivem no descontrole total, cometendo multidões de pecados contra si mesmo, contra os outros e contra o meio ambiente. Vivem mais fora do caminho, se desviando sempre para um lado ou para o outro, sem nenhum equilíbrio.

 

 

image

Descrição: Fósforo.  Data: junho/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Erramos quando agimos com propósitos errados. Tudo tem que ter objetivos certos. Não podemos tomar remédios aleatoriamente. Não podemos usar um medicamento como se ele fosse um alimento qualquer. Nossas ações têm que ter propósitos realmente bons pra nós, para os outros e para o meio ambiente. Adquirir uma caixa de fósforos não é errado, mas adquiri-la para incendiar uma floresta é um erro: a floresta tem que ser preservada. Posso conversar com as pessoas. Mas não posso falar coisas que sirvam para denegrir alguém. Qualquer um pode usar a Internet, todavia ninguém deve utilizá-la para prejudicar outras pessoas. Tudo tem que ter bons propósitos.

 

 

image

Descrição: Noivinha.  Data: agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Erramos quando agimos no tempo errado. Há um tempo certo para cada atitude. O remédio só será remédio se for utilizado no tempo determinado pelo médico. Não adianta colher as frutas antes do tempo. Casamento não é errado, mas o casamento de uma criança é um erro, pois ela não está no tempo de assumir responsabilidades. Ela ainda não tem maturidade para assumir a vida conjugal. Não adianta ter a melhor das intenções. O tempo certo é necessário. Como diz o livro Eclesiastes: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3.1, RC) [3] Fazer as coisas antes da hora ou depois do tempo é o erro que muitas pessoas cometem.

 

 

image

Descrição: Medicamento.  Data: junho/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Erramos quando agimos nos lugares errados ou com as pessoas erradas. Todas as nossas ações dependem de um lugar ou de uma pessoa certa. O que não depende de um lugar, depende de uma pessoa e vice-versa. O remédio cura se for aplicado no lugar certo. Somente o médico é a pessoa certa pra indicar um medicamento. Existem pessoas certas para cada atitude. O que pode ser um remédio para uma pessoa pode ser um veneno para outra. Um remédio só serve para determinados doentes.  Tocar uma música não é errado, mas convidar uma pessoa que não entende de música para cantar é um erro: ela poderá cantar sem afinação. Fazer uma construção não é errado, mas construir à beira dum rio é um erro, pois ali é lugar de inundações. Quando a enchente chega, quem invadiu suas margens será invadido. Não importa: barracos, mansões e até castelos verão o poder das águas.

 

 

image

Descrição: Belém––Brasília. Data: agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Erramos quando agimos de modos (meios) errados. Existem modos certos para tudo. Não adianta a gente usar qualquer coisa como remédio. E um remédio só fará bem se for usado no modo correto. Plantar sementes de alface não é errado, mas plantá-las numa cova de meio metro de profundidade é um erro, pois elas não vão conseguir vencer uma barreira de terra tão grande. Há meios certos de fazer cada coisa. Se eu estiver em Brasília não é errado ir para o Rio de Janeiro, mas tentar ir para lá pegando a rodovia Belém—Brasília é um erro, pois acabarei chegando a Belém do Pará. Muitas pessoas erram tentando fazer coisas certas de modos errados.

 

 

image

Descrição: Opulência. Data: junho/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY SA.

 

Erramos quando agimos nas medidas erradas. Há medidas certas para tudo. Tudo o que é praticado abaixo ou acima da nossa necessidade ou da nossa capacidade é errado. A diferença do remédio e do veneno está na dose. Se um médico diz para eu tomar um comprimido por dia, não posso tomar dois ou três. Dinheiro é bom, mas o excesso de dinheiro é a causa de muitos males. Comer não é errado, mas comer além da medida é um erro, pois pode causar problemas como a obesidade, por exemplo.  Parece que é aqui que as pessoas mais erram. Às vezes uma coisa é feita com propósitos certos, no tempo certo, no lugar certo ou com a pessoa certa, no modo certo, mas na medida errada.

 

Como vimos, toda ação pode ser certa ou errada, dependendo dos diversos fatores. Algumas ações podem causar erros insignificantes, mas outras podem produzir erros desastrosos. Alguns erros podem nos afastar um pouco da estrada divina da vida. Mas alguns podem nos colocar bem longe do caminho iluminado e nos mergulhar na escuridão. Precisamos usar o bom senso antes de tomar qualquer atitude.

 

 

image

Descrição: Viver em harmonia. Data: agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Harmonia entre nós, os outros e o meio ambiente. Harmonia é a disposição bem ordenada e agradável entre as partes de um todo. Ela está presente na música, onde precisa haver a combinação de todas as notas emitidas simultaneamente para produzir lindas canções. Ela existe em nosso corpo, onde todos os órgãos funcionam em perfeita sincronia, formando um perfeito organismo. É real nos processos naturais do nosso planeta e de todo o Universo, onde tudo é ordenado e perfeito. Enfim, a harmonia é necessária para que todas as coisas funcionem corretamente.

 

Nossas ações têm que estar dentro de um processo harmonioso entre nós, os outros, o meio ambiente para que possamos alcançar o nosso alvo e ter harmonia com o poder supremo do Universo. Não devemos fazer o que é bom para nós, mas ruim para os outros e para o meio ambiente. Quando maltratamos os outros, de forma indireta, estamos maltratando a nós mesmos. Quando destruímos a natureza, estamos destruindo a nós mesmos. A quebra da harmonia atrapalha a nossa vida nos deixando longe do nosso alvo. O que pensamos e fazemos pode nos transformar, transformar os outros e o meio ambiente de maneira positiva ou negativa.

 

O ALVO DESEJADO

O ALVO ERRADO

image

O ALVO ERRADO

 

 

A luta para se manter firme no bom caminho

Descrição: Virtudes. Data: julho/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.  

 

Nossas virtudes. Quando aprendemos a administrar as nossas ações, procurando fazer tudo com propósitos certos, no tempo certo, nos lugares certos ou com as pessoas certas, nas medidas e nos modos certos, estabelecendo a harmonia, em vez dos maus frutos dos pecados, produzimos os bons frutos das virtudes. Dessa forma, nos firmamos no bom caminho da vida. Não quer dizer que deixamos de tropeçar ou vacilar. Não significa que deixamos de errar. Todavia, aprendemos a lutar com o propósito de manter-se firme no bom caminho. Vacilamos para um lado e para o outro, mas não mergulhamos no abismo.

 

Resumindo: as nossas necessidades, os nossos desejos e as nossas ações precisam ser bem administradas ou controladas, para que tudo seja feito com propósitos certos, no tempo certo, nos lugares certos ou com as pessoas certas, nas medidas e nos modos certos, para que a nossa vida seja harmoniosa e cheia de virtudes, para que possamos alcançar o nosso alvo, que é ser verdadeiramente livres, cheios de paz interior, felizes, seguros, sem temor, na esperança de ter vida e mais vida. Não adianta usar um monte de elementos místicos, realizar rituais e mais rituais, liturgias, seguir preceitos... Se não aprendermos a administrar a nossa vida, erraremos mais e mais.

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, juntamente com essa informação final, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br