Translate, traduzir

Zombarias religiosas

Livres dos Fardos Religiosos

 

Na área religiosa, qualquer um acaba cometendo algum deslize, alguma ingenuidade. Ninguém é bastante sábio capaz de nunca cometer algum engano. Por isso, devemos respeitar uns aos outros. Todavia, nem sempre, é o que acontece. Muitos adoram zombar da religiosidade dos outros.

 

A zombaria religiosa acontece quando alguém procura, por meio de risos, palavras e atitudes, ridicularizar uma pessoa ou alguma instituição religiosa. Pode também ser chamada de deboche, escárnio, sarcasmo ou chacota. [1]

 

 

image

Descrição: Zombaria religiosa. Data: dezembro/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Jesus, após dizer algumas palavras na casa de um chefe de sinagoga, pôde ver várias pessoas rindo dele. (Mateus 9:24.) [2]

 

Pedro escreveu: “Primeiro vocês precisam saber que nos últimos dias vão aparecer homens dominados pelas suas próprias paixões. Eles vão zombar de vocês.” (2 Pedro 3:3, NTLH.) [3] Os apóstolos de Jesus Cristo profetizaram: “Quando chegarem os últimos tempos, aparecerão pessoas que vão zombar de vocês, pessoas que não querem saber de Deus e seguem os seus próprios desejos.”  (Judas 1:18, NTLH.) [4] Isso tem acontecido com aqueles que procuram seguir o verdadeiro evangelho.

 

No final do século passado, aqui no Brasil, usando expressões chulas e irônicas, muitos riam daqueles que seguiam igrejas evangélicas. Isso acontecia nas salas de aula, nos locais de trabalho e até nas ruas. Por outro lado, muitos evangélicos têm zombado até mesmo de irmãos da sua própria igreja. Já vi pregadores famosos, tentando enriquecer seus sermões com gracejos em cima de doutrinas e costumes de outros crentes. Lamentavelmente, sem amor, fazem a platéia rir daqueles que têm comportamentos religiosos diferentes, não aprovados pelo cômico pregador. Às vezes, parece que estamos diante de um comediante, e não de um pregador que diz ser evangélico.

 

Hoje em dia, na Internet, nas redes sociais, é muito comum ver ateístas (aqueles que não acreditam em nenhuma divindade) escarnecendo dos teístas (os que confiam em alguma divindade). Também encontramos seguidores de igrejas protestantes e evangélicas fazendo chacotas de ateus, católicos e espíritas ou de outras igrejas e religiões. Da mesma forma, muitos católicos procuram ridicularizar outras igrejas e religiões ou os seus seguidores.

 

E aquelas charges tentando desmoralizar líderes ou instituições religiosas? Existem muitas por ai. Algumas, tentando denunciar certos atos maus, até podem ser interessantes. Mas muitas são meras zombarias inconvenientes.

 

Vimos, em outra mensagem, que o profeta Elias cometeu vilipêndio contra os profetas de Baal por meio de zombarias, quando eles buscavam uma manifestação desse deus. (I Reis 18.27, RC.) [5] É claro que Baal não passava de uma divindade mitológica. Mas será que Elias agiu certo zombando da crença deles? Podemos imitar Elias nesse sentido? Será que temos o direito de debochar da religião dos outros? Será que não é possível debater idéias com palavras civilizadas?  Será que temos abundante conhecimento e, com isso, conquistamos o direito de humilhar os outros? Muitos que deviam estar evangelizando e falando com bons modos estão, na verdade, simplesmente debochando dos outros. Até escrevem risadas sarcásticas de várias maneiras contra as crenças alheias, acompanhadas de palavras e expressões de baixo calão.

 

Precisamos melhorar nossos relacionamentos religiosos. Temos o direito de discordar dos outros, de defender nossas idéias e crenças. Mas tudo precisa ser feito com boas maneiras, sem esses sarcasmos inoportunos. Se não gostamos de ver os outros zombando de nós, então, não devemos escarnecer da fé de ninguém. Muitos realmente estão fazendo coisas esquisitas, mas nada é cômico e muitas coisas são trágicas. Então, precisamos deixar os gracejos de lado e levar o evangelho genuíno da graça a sério. As pessoas espiritualmente famintas não precisam do pão e do circo de Roma e nem de qualquer outro lugar. O povo precisa do pão da vida, o pão vivo que desceu do céu: não precisa de espetáculos circenses religiosos. [6], [7] Zombar e ser zombado, nada disso vai melhorar o mundo.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br