Dízimo (parte IV)

Livres dos Fardos Religiosos

 

Continuação do post anterior.

 

Se não fosse o dízimo medieval, em forma de dinheiro, baseado em textos distorcidos da Bíblia, muitas igrejas não existiriam, e muitas outras não surgiriam, pois muitos estão de olho nesse dinheiro fácil.

 

Muitos aprenderam a usar as duas estratégias principais para conseguir o dízimo financeiro e medieval daqueles que não têm conhecimento da verdade:

 

·       A primeira é ameaçar usando as maldições de Malaquias 3.8-9. [1]

·       A segunda é incentivar prometendo bênçãos usando Malaquias 3.10-12. [2]

 

Muitos são verdadeiros mercenários na obra de Deus e não abrem mão dessa doutrina. Mas outros a praticam de boa fé, pois acham que estão cumprindo a Palavra de Deus. Há ainda os que sabem que estão errados, mas se acovardam com medo de dizerem a verdade. Preferem ficar do lado da maioria.

 

 

image

Desc.: Maldições e bênçãos: as duas estratégias usadas nas igrejas para manter a lei do dízimo. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

 

Uma observação interessante: Moisés determinou que a tribo dos levitas recebesse o dízimo das outras tribos. Por quê? Porque os levitas não tinham propriedades. Eles foram escolhidos para trabalharem exclusivamente na obra de Deus. [3] Mas hoje, muitos líderes querem o dízimo, querem ser políticos, empresários, fazendeiros, profissionais liberais, artistas, vendedores de produtos gospel, vendedores de turnês de pregações, algumas com preços absurdos e não querem nem ouvir falar em não ter propriedades. Eles não sabem ou fingem não saber que os levitas receberam o dízimo e as ofertas porque não receberam propriedades. (Números 18.20-21.) [4]

 

Pastor político

Pastor empresário

Pastor fazendeiro

Pastor profissional liberal

Pastor vendedor

Pastor artista

Pastor conferencista

Etc.

Descrição: Vários tipos de pastores. Data: junho/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Os sacerdotes recebiam o dízimo dos dízimos dos levitas. [5] Eles não dizimavam. Claro, não fazia sentido eles pagarem para eles mesmos. (É interessante ver pastores pagando dízimos para eles mesmos.) Jesus é o nosso sumo sacerdote para sempre, e todos nós somos sacerdotes com ele. (Hebreus 4.14-15 e Hebreus 5.5-6; I Pedro 2.5 e 9; Apocalipse 1.6 e 5.10.) [6] Ele, noutra dimensão, não precisa de dízimo para se sustentar. E nós todos somos sacerdotes com ele. Sendo assim, como sacerdotes, não temos a obrigação de dar dízimos.

 

 

Os sacerdotes não dizimavam.

Nós somos sacerdotes e não precisamos dizimar

 

Descrição: Sacerdote não dizimava. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Se alguém quer criar uma organização religiosa, onde os membros devem doar dez por cento ou até mais da sua renda, isso não é problema em si. Todos são livres para aceitarem ou não essa condição. Todos têm a liberdade de darem quanto quiserem para quem quiserem. Mas criar uma organização religiosa cristã e impor um preceito que Cristo não ensinou não está certo. Outro erro absurdo é usar o nome de Deus para justificar certas ordenanças, como certo pastor conhecido que andou pedindo o “trízimo” (30%) dizendo que era ordem de Deus. Dessa forma, as pessoas ficam num “beco sem saída”. Para serem salvas, segundo os líderes dessas organizações, elas precisam aceitar Jesus. Para aceitarem Jesus elas têm que se filiar a alguma igreja institucionalizada. Mas para fazerem parte de alguma igreja desse tipo, têm que dar dez por cento. A pessoa acaba presa em duas correntes.

 

O dízimo estabelecido para o povo de Israel era também para ajudar os necessitados. Mas hoje, os pobres, além de não serem ajudados com os dízimos, ainda sofrem humilhações. Se não podem pagar os dez por cento, muitas vezes são vistos como pessoas amaldiçoadas e sem fé.

 

Chega de mentiras e enganos. Liberte-se dessa prática da lei mosaica. Jesus nos libertou dessa lei. Contribua com a obra de Deus onde você quiser, com a quantidade que desejar. Faça tudo com amor, livre de qualquer imposição, constrangimentos e falsas promessas, usando o santo nome de Deus.

 

 

image

Descrição: Libertando-se do dízimo medieval. Data: junho/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Liberte-se do fardo do dízimo medieval!

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br