Templos (parte XII)

Continuação do post anterior.

 

Livres dos Fardos Religiosos.

 

Não adianta ficar enfiados nos templos, com trajes a rigor, chiques e cheirosos, mas despidos espiritualmente, fedendo pecado. Chega de ficar fingindo ser cristãos, sendo meros apresentadores ou simples espectadores, cumprindo rituais cansativos. Chega de ficar acomodados nos bancos, encurralados pelas quatro paredes bonitas, sofrendo explorações daqueles que são mais espertos, enganando e sendo enganados, enquanto pessoas, lá fora, estão se perdendo, morrendo de fome, nas guerras, nos vícios, sem teto, nas enchentes, sofrendo injustiças, marginalizadas, perdidas nas trilhas do ódio, da ganância, no pecado... Precisamos deixar de lado as idéias de Constantino e seguir os verdadeiros ideais de Jesus Cristo. Seu projeto não foi arquitetônico, mas uma vida de virtudes constantes, longe dos rituais templários. O que ele realmente viveu, ensinou e quer é: amor, paz, perdão, solidariedade, justiça, verdade, respeito, fé, bondade... Não adiante ficar nos templos dizendo Senhor, Senhor e não fazer o que ele realmente mandou.Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?” (Lucas 6:46.) [1] “Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.” (João 15:14.) [2]

 

 

image

Descrição: Pessoas participando de um culto público. Data: 02/04/2008. Autor: Bene16. Obra completa. Licença CC BY-SA.

 

Não vale a pena colocar uma roupa bonita, colocar debaixo do braço aquela Bíblia que está na onda, entrar no templo e dizer: “paz do Senhor, meu irmão!” se assentar, se levantar, sapatear, bater palmas, rodopiar, cantar, falar línguas estranhas, entoar vozes retumbantes, palavras chorosas e dizer velhos e novos jargões como: “senhor, senhor!” “glória Deus!” “Jesus maravilhoso!” “aleluia!” “amém!” “tira o pé do chão!” Não vale a pena apresentar alguma coisa no púlpito, tocar instrumentos, cantar no conjunto, no coral, fazer teatros, participar de correntes, entrar no túnel da bênção, ser ungido com sal do mar Vermelho, enxofre do mar Morto, água do rio Jordão e similares, colocar pulseiras e medalhas ungidas, perfume do amor, fazer peregrinações, participar de shows gospel, contar seus pecados para o padre, ingerir uma hóstia e outras coisas mais se não fizer o que Cristo realmente mandou. Tudo isso é perda de tempo, uma vez que, após sair das igrejas de concreto, cimento, pedras e tijolos, as pessoas tornam-se como qualquer um, frias, falando mal dos outros, roubando, falando mentiras, caluniando, sem respeito ao próximo, sem amor, sem perdão, carregados de orgulho, avareza, ganância, preconceitos e tantos outros males. De que adianta valorizar tanto um edifício sagrado feito por mãos humanas enquanto o nosso planeta, um templo natural muito mais bonito, está sendo destruído pela ganância e pela avareza do capitalismo selvagem sem limites, endossado pela teologia da prosperidade?

 

 

image

Descrição: A natureza, verdadeiro templo natural, sendo destruída. Data: maio/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Jesus certamente não está interessado em ver templos abarrotados de gente bajulando o seu nome. Ele disse: “Eu não procuro a minha própria glória; há quem a busque e julgue.” (João 8.50, RA.) [3] Eu não aceito glória que vem dos homens. (João 5:41, RA.) [4] O que ele pregou foi o abandono do pecado. Entretanto, as nações ditas cristãs estão abarrotadas de templos de todos os tamanhos e estilos e sempre estiveram carregadas com os mais tenebrosos males da humanidade. Jesus nunca mandou ninguém construir templos, mas fizeram milhares de igrejas em todos os continentes. Ele mandou deixar o pecado, mas a ganância, a avareza, a guerra, a escravização, a falta de amor, a falta de solidariedade, o ódio, o preconceito, a discriminação, a intolerância, a degradação do meio ambiente e tantos outros males são coisas repugnantes que muitos fiéis aos seus líderes templários não têm deixado. Acham que a única coisa que precisam são as mesmices ritualísticas do evangelho insípido dentro de um recinto fechado.

 

 

image

Descrição: Igrejas em todo o mundo. Data: maio/2013.  Autor: Maralvestos. Derivada da obra de Styx. Licença DP.

 

Não é errado ter locais para a realização de eventos religiosos. Também não é pecado entrar nesses locais. Já vimos que Jesus e os apóstolos estiveram no pátio do templo e nas sinagogas. Mas é bom lembrar que eles foram nesses locais sagrados para pregarem a boa nova de libertação. Não foram lá para ficarem acomodados, praticando as tradições ritualísticas do seu povo. [5] Como eles, não podemos fazer desses locais o centro da nossa vida cristã. Temos que andar com Deus em todo lugar, independente de qualquer construção. A pessoa pode muito bem ser de Deus com templos ou sem templos.

 

 

clip_image008

Descrição: Paulo numa sinagoga. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Jesus nos libertou dos templos, mas ele respeitou as sinagogas da religião do seu povo e o templo de Jerusalém. Aliás, ele até defendeu o templo, expulsando os vendedores, os compradores e cambistas que estavam usando indevidamente aquele lugar. (Mateus 21.12-13.) [6] Também não podemos desrespeitar, profanar, destruir ou depredar nenhum templo de igreja ou religião alguma. Todos merecem o nosso respeito. Não podemos fazer o que os hebreus fizeram com os locais sagrados dos cananeus. (Deuteronômio 12.2-3.) [7]. Não podemos agir como o imperador Teodósio, que mandou destruir todos os templos das outras religiões. [8]

 

 

clip_image010

Descrição: Os hebreus depredaram os elementos religiosos dos locais sagrados dos cananeus. Não podemos fazer isso. Não somos obrigados a aceitar as outras crenças e religiões, mas não precisamos desrespeitá-las dessa forma. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Recapitulando o que já disse noutra mensagem, muitos deixam de ser igreja quando, reunidos, passam a fazer o que Cristo condenou, em vez de fazer o que ele mandou. Dessa forma, quando cristãos se reúnem para fazer fofocas ou para tratar de assuntos que não edificam, perdem a graça de ser igreja de Cristo. Muitos cristãos modernos passaram a viver o evangelho apenas dentro de quatro paredes dos templos. Alguns nem isso. No dia a dia, noutros lugares, mesmo estando juntos, muitos são como qualquer pessoa, sem nenhum comportamento digno do verdadeiro evangelho. Isso é lamentável. Precisamos ser cristãos em toda parte. Precisamos aprender a ser um exemplo de vida para todos, em todos os lugares. Temos que aprender a ser assim, livres, libertos como o vento... Ser tudo de bom, sem templos, sem liturgias, sem rituais cansativos, sem leis religiosas humanos... Simplesmente livres...

 

 

image

Descrição: Não perca a oportunidade de ser templo de Deus.  Data: maio/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Você está numa cama e não pode ir ao templo? Mora em um lugar deserto, onde não existem igrejas edificadas? Vive em um país, onde não existe liberdade religiosa? Nada disso importa. Você mesmo, onde está, pode ser templo de Deus. Isso não depende das circunstâncias: depende de você mesmo. Os inimigos poderão tirar você de dentro de qualquer templo. Mas não conseguirão jamais tirar Deus de dentro de você. Como aconteceu no passado, poderão saquear e destruir qualquer lugar sagrado. Poderão destruir até o seu corpo, como fizeram com Jesus. Mas o verdadeiro templo de Deus dentro de você é indestrutível, intocável, impenetrável... Lá no fundo, no íntimo, na alma, há um novo Santo dos Santos, onde apenas o Senhor pode entrar.

 

 

image

Descrição: Ninguém pode tirar Deus de dentro de você. Data: maio/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Você é livre para construir, dirigir ou frequentar o edifício sagrado que quiser, entretanto, saiba que, conforme o evangelho puro e simples de Jesus, eles não são mais necessários. Você é livre para ficar preso dentro dos templos. Mas quero dizer que você está livre para andar com Deus mesmo sem nenhum local sagrado. Estamos todos dentro do grande Universo, que é o infinito e verdadeiro templo divino. O espaço infinito, cheio de astros, luzes e mistérios são partes do verdadeiro templo. E o seu corpo também pode ser parte do templo divino, basta você se tornar adepto do bem, da paz, do amor, da bondade, da solidariedade, da fé, do perdão, da justiça e de tantas outras virtudes. Fuja do ódio, da ganância, do egoísmo, do orgulho e de tantos outros males e seja parte do grande templo infinito daquele que está acima de todas as coisas.

 

 

clip_image016

Descrição: Pôr do sol sobre o Altmuehlsee (Baviera, Alemanha). Cenas naturais do verdadeiro templo divino. Data: 21 de julho de 2010. Autor: Julian Herzog. Fonte. Licença CC BY.

 

Antes de terminar, quero lhe convidar para a igreja que eu pertenço. Endereço: qualquer lugar desse Universo infinito: aqui nesse planeta, nas montanhas, no mar, no fundo dos oceanos, nos vales, nas matas, na sua casa, no seu quarto, em sua cama ou em qualquer outro lugar de qualquer outro planeta ou galáxia. Horário: qualquer hora.

 

 

image

Descrição: Libertando-se do templo. Data: maio/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Você é livre para decidir não ser uma igreja verdadeiramente livre. Mas a porta está aberta. Você pode ir, voando, noutra dimensão.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br