Sacerdotes (parte III)

Continuação do post anterior.

 

Sacerdote eclesiástico não é coisa apenas de católicos e ortodoxos. Diversas outras igrejas, que surgiram depois do século XVI, mesmo não usando o termo sacerdote, na prática, o que muitos pastores fazem são tarefas sacerdotais. E o que é pior: alguns ainda agem como se fossem sacerdotes dos tempos primitivos.

 

No século XVI, aconteceu a Reforma protestante, quando João Calvino e Martinho Lutero defenderam a restauração do sacerdócio de todos os crentes. [1] Eles ensinaram corretamente que cada cristão tem acesso direto a Deus sem a necessidade de um mediador humano. Eles não quiseram continuar usando o título católico de sacerdote e criaram o título de pastor. Também surgiram os títulos de pregador e ministro. Fizeram uma mudança na roupagem e nos títulos, mas quase nada mudou em termos de liderança. Consideraram todos os cristãos como sacerdotes, mas mantiveram uma classe de sacerdotes especiais, embora com outros títulos. Os pastores continuaram agindo como sacerdotes nas milhares de igrejas protestantes e evangélicas que surgiram a partir de então. [2] Não voltaram a ser simples servos no meio do povo, mas continuaram como cabeças das igrejas locais, agindo acima do povo, realizando liturgias, atuando como se fossem sacerdotes ungidos.

 

image

Descrição: Unção com o azeite da botija de Sarepta para acabar com a sua miséria. Data: abril/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Hoje, entre os evangélicos, muitos estão tratando os pastores como se fossem sumos sacerdotes. Quando precisam de alguma bênção, não se contentam com o sumo sacerdote Jesus e procuram a mediação de pastores, principalmente daqueles mais famosos. Vários pastores, com sua liturgia carregada de misticismo, se parecem com os antigos sacerdotes pagãos. São, na verdade, verdadeiros xamãs, praticando coisas bastante primitivas. Em vez de libertarem as pessoas de suas crendices e misticismos, as escravizam ainda mais. Muitos sabem que estão agindo indevidamente, pois Jesus nos libertou de tudo isso. Mas mesmo assim, por causa do proselitismo, encaram isso como um recurso pragmático, achando que tudo que serve para atrair as pessoas para os templos é válido. Dessa forma, muitas igrejas neopentecostais estão cheias de sacerdotes estranhos.

 

Já vimos noutra mensagem, e você não pode esquecer jamais, que havia, em cada igreja do Novo Testamento, no primeiro século, não um, mas várias anciões, também chamados de presbíteros ou bispos, formando um conselho. Não eram pastores ou padres no sentido moderno, nem sacerdotes no modelo antigo. Eram apenas uma comissão de idosos com a capacidade de poder ajudar as igrejas nas questões difíceis. [3] Sendo assim, esses trabalhos realizados pelos pastores de várias igrejas estão totalmente fora do contexto neotestamentário. O que estão fazendo tem tudo a ver com as religiões de outras culturas, se distanciando, cada vez mais, do verdadeiro evangelho. Estão mergulhando num sincretismo desenfreado, copiando os elementos místicos que acham convenientes. Em vez de pregarem uma fé racional, libertando as pessoas com o evangelho puro, usam e abusam das crendices do povo, deixando-as sem a verdadeira libertação.

 

Fetichismo ou feiticismo é a veneração de objetos que se presume possuírem poderes mágicos ou sobrenaturais. [4] Fetiche é o objeto ao qual se atribuem tais poderes. [5] Dessa forma, feitiçaria ou feitiço é o uso desses objetos, supostamente impregnados com poder sobrenatural, para se obter alguma coisa. [6] Em outras palavras, é a prática “que supostamente pode produzir fenômenos extraordinários e não naturais, por intermédio de fórmulas e manipulações, rituais bizarros, etc.” [7] Essa prática é também chamada de magia, bruxaria, encantamento ou sortilégio. [8], [9], [10]  Além disso, de forma pejorativa, é também conhecida como macumba, despacho, coisa-feita, mironga ou mandinga. [11] O sacerdote que pratica essas coisas é chamado de feiticeiro, mago, bruxo ou encantador. [12], [13], [14], [15].  Então, lamentavelmente, muitos, em várias igrejas, se enquadram dentro dessa prática. A diferença é que associam tudo com a Bíblia. É a versão, supostamente bíblica, do fetichismo dos tempos primitivos, quando as pessoas se encontravam mergulhadas na ignorância, carregadas de crendices. Dessa forma, podemos dizer que tais práticas nas igrejas são magias eclesiásticas. E muitos pastores são, na verdade, sacerdotes mágicos. Criticam o sacerdócio católico e, mesmo não tendo o título de sacerdote, agem como os sacerdotes das religiões dos tempos pré-históricos. Parece que embarcaram numa máquina do tempo, deixando o evangelho e o catolicismo, desembarcando num tempo longínquo.

 

Veja alguns fetiches ou elementos místicos oferecidos em muitas igrejas.

 

clip_image004[4]

Descrição: Mar morto. Onde muitos pastores vão buscar sal para suas campanhas místicas. Data: 04 de novembro de 2008. Autor:  Blue Serge. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

·       Água do mar Vermelho, onde o povo hebreu, através do milagre de Deus, passou fugindo dos inimigos egípcios, para abrir caminhos para você poder fugir de todo mal perseguidor.

·       Água do mar da Galiléia, onde Jesus realizou pescas milagrosas em abundância, para fazer você pescar prosperidades abundantes.

·       Água do mar Morto, onde Deus queimou, com fogo e enxofre, todo mal de Sodoma e Gomorra, para você conseguir queimar todos os seus males.

·       Água do túmulo de Jesus para fazer ressuscitar seus projetos e sonhos.

·       Água da fonte de Gideão para Deus dar para você a vitória, assim como deu a vitória a Gideão contra os seus inimigos midianitas.

·       Água do Monte Moriá, onde Deus se manifestou a Abraão como Jeová Jiré, provendo um cordeiro para o holocausto, para lhe dar provisões.

·       Água do Rio Jordão, lugar onde Naamã foi curado e Jesus foi batizado, para lhe dar uma unção especial.

·       Água do tanque de Betesda, onde Jesus curou um homem enfermo há 38 anos, para você curar seus males enraizados por muito tempo.

·       As sete águas mais poderosas do mundo. Se cada uma das oito águas tem grande poder, imagine sete águas poderosas juntas.

·       Sal do mar morto para gerar milagres.

·       Terra de Israel com a mesma finalidade.

·       Água ungida para beber ou espargir nos cômodos da casa.

·       Terra ungida para abençoar.

·       Vassoura ungida para limpar os males da casa.

·       Rosa ungida para conquista do amor.

·       Fitinha ungida para proteção.

·       Sabonete ungido para lavar todo mal.

·       Alianças para você fazer aliança com Deus e conquistar seus sonhos.

·       Rosa do amor para consertar seu casamento ou arrumar um cônjuge.

·       Martelo da justiça divina para resolver seus problemas com o Juiz celestial.

·       Água e óleo consagrados no monte Sinai.

·       Óleo consagrado no monte das Oliveiras.

·       Óleo da ressurreição consagrado no túmulo de Jesus.

·       Medalha comigo ninguém pode

·       Sal ungido.

·       Tapete ungido.

·       Toalhinha ungida.

·       Arca da Aliança.

·       Chave da vitória.

·       Manto sagrado.

 

Para não ficarem parecendo fetiches, muitos preferem chamar essas coisas de pontos de contato.

 

Agora observe o que estava escrito numa faixa, em uma igreja.

 

“DESENCAPETAMENTO” TOTAL

Se você é vítima de olho gordo, inveja, doenças incuráveis, vícios, dívidas, miséria, solidão; é infeliz no amor; cisma que foi vítima de trabalhos feitos na macumba, bruxaria, feitiçaria e nada dá certo: venha receber a prece violenta. E seja liberto de toda opressão. Sexta-feira, 08:30, 15:00 e 19:30 h.

 

Veja alguns trabalhos fetichistas oferecidos em algumas igrejas.

·       Banho das sete águas.

·       Fonte da água milagrosa, onde a pessoa pode ir para lavar as mãos e assim conseguir o seu milagre.

·       Unção da chave do carro.

·       Unção de achar para fazer a pessoa encontrar soluções para os seus problemas.

·       Unção do celular para receber apenas boas notícias.

·       Unção de carteira de trabalho para encontrar bons empregos.

·       Unção com petróleo, prata e ouro para conquistar riquezas.

·       Unção do derrubador de muralhas.

·       Unção da barriga para conseguir engravidar.

·       Corrente de Jericó para quebra de muralhas.

·       Corrente para quebra de maldições.

·       Corrente da sexta-feira forte.

·       Campanha do descarrego.

·       Oração forte contra olho gordo.

·       Oração forte para tirar o encosto.

·       Regressão espiritual.

·       Fogueira santa.

 

São muitas coisas estranhas encontradas por ai. Apenas demos alguns exemplos. E para não serem confundidos com os sacerdotes de outras crenças, chamam tudo de ato profético, campanhas, correntes, etc. Alguns, mais ousados, chamam de trabalho, lembrando os rituais de algumas religiões fetichistas. [16] Outros costumam dar ênfase às correntes realizadas nas sextas-feiras, aproveitando a superstição das pessoas em relação a esse dia. [17], [18] E é por ai, seguindo o evangelho diferente, que muitos pastores agem como sacerdotes primitivos, deixando de lado a libertação sacerdotal oferecida por Jesus, que fez de todos nós verdadeiros sacerdotes de outra dimensão.

 

Além de tudo isso, uma grande parte da cristandade ainda busca mediadores mortos que nem sequer foram sumos sacerdotes. No início do cristianismo, muitos cristãos começaram a realizar peregrinações aos túmulos dos que haviam sido martirizados por causa do evangelho. Esses mortos começaram a ser venerados. Surgiram crendices e devoções particulares. Para manter o controle dessa situação, a liderança da igreja resolveu fazer uma lista instituindo a canonização dos santos no final do século IX. [19] Mas infelizmente perdeu-se o controle, e os santos são mais do que venerados: são adorados e até considerados como mediadores, uma espécie de sacerdotes divinizados. Dessa forma, a Igreja acabou resgatando a idéia primitiva de cultuar os mortos, fazendo deles uma espécie de sacerdote ou mediador endeusado.

 

Respeitamos a posição que certas pessoas ocupam dentro de suas religiões. No entanto, na igreja de livre Jesus, ninguém é pastor, bispo, presbítero, ancião, padre, papa, missionário, apóstolo no sentido de ser cabeça, presidente, sacerdote, sumo sacerdote ou coisa parecida. Ninguém está acima de ninguém. Não há mediador exclusivo ou especial. Somos todos sacerdotes uns dos outros. Somos todos um corpo de sacerdotes, cada um com o seu dom, cada um com uma função determinada pelo Espírito de Deus, e Jesus é, de certa forma, o nosso único e eterno sumo sacerdote diante dele. Hoje não temos mais nenhum ritual para ser cumprido por nenhuma pessoa especial. Ninguém precisa ser dependente de “grandes homens de Deus” trabalhando como se fosse alguém mais poderoso. Não há privilegiados. Pessoas simples e sem fama também podem ter dom de curar, dom de maravilhas, dom de ensinar e muitos outros.

 

image

Descrição: Sacerdote livre de outra dimensão. Data: abril/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Devemos respeitar os sacerdotes e as religiões que ainda se encontram no estágio mais primitivo. Sem humilhação, sem orgulho, sem palavras ofensivas, devemos mostrar para todos que, com o evangelho original de Jesus, nada disso é mais necessário. Todos devem ter o direito e a liberdade para seguirem suas crenças místicas. Todavia ninguém deve explorar isso financeiramente como tem acontecido. Por outro lado, todos têm o direito de saber que, através do evangelho de Jesus Cristo, podemos ser sacerdotes de uma maneira muito mais sublime.

 

Você não precisa de nenhum ritual praticado por qualquer sacerdote especial desse mundo a seu favor. Não precisa contar seus pecados pra ninguém. Você mesmo pode ser um sacerdote livre, sem paramentos, sem rituais de iniciação, sem templos, sem magia, sem fetiches e sem qualquer outra bizarrice. Ai, onde está, pode buscar a Deus conforme os ensinamentos de Jesus, independente de qualquer coisa e de qualquer outra pessoa. O que você realmente precisa é deixar de seguir o caminho do mal e do pecado e seguir o caminho do bem, onde Deus está sempre presente. Se por acaso se sentir fraco, saiba que qualquer cristão de verdade é um sacerdote que pode lhe ajudar. Você também, como sacerdote, pode ajudar os outros. Deixe Jesus ser o seu único sumo sacerdote espiritual, e seja um verdadeiro sacerdote com ele. Você está neste mundo. Aqui qualquer lugar pode ser santo. Depende de você. E Jesus está noutra dimensão, no verdadeiro santo dos santos, como seu único mediador diante de Deus.

 

Liberte-se da dominação do sacerdócio humano.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br 



[2] Cristianismo Pagão. Frank A. Viola, pp. 79 a 83.

[19] Canonização. Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda