Translate, traduzir

Apóstolos

Livres dos Fardos Religiosos.

Um homem preparou um banquete e mandou os seus servos com o seguinte recado: “Digam aos convidados que tudo está preparado para a festa. Já matei os bezerros e os bois gordos, e tudo está pronto. Que venham à festa!” Mas muitos não se importaram com o convite. Então ele disse: “Agora vão pelas ruas e convidem todas as pessoas que vocês encontrarem.” Assim eles fizeram. Saíram pelas ruas dando o recado, convidando a todos para o grande banquete. [1] [2] Essa parábola, contada por Jesus, ilustra muito bem a missão das doze pessoas escolhidas por ele, que foram chamadas de apóstolos. São eles:

 

clip_image002[6]

Desc.: Jesus e os apóstolos. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

1.     Simão Pedro;

2.     André;

3.     Tiago, filho de Zebedeu;

4.     João;

5.     Filipe;

6.     Bartolomeu;

7.     Tomé;

8.     Mateus;

9.     Tiago, filho de Alfeu;

10. Tadeu;

11. Simão, o Zelote e

12. Judas Iscariotes. (Lucas 6.13-16.) [3]

Jesus enviou esses homens com a seguinte ordem: “Não vão aos lugares onde vivem os não-judeus, nem entrem nas cidades dos samaritanos. Pelo contrário, procurem as ovelhas perdidas do povo de Israel. Vão e anunciem isto: ‘O Reino do Céu está perto.’ Curem os leprosos e outros doentes, ressuscitem os mortos e expulsem os demônios. Vocês receberam sem pagar; portanto, dêem sem cobrar.” (Mateus 10.5-8, NTLH.) [4] Na sequência, ele deu uma série de instruções e alertas sobre essa missão. Mais adiante, ele mandou mais setenta discípulos com a mesma missão. (Lucas 10.1-24.) [5]

Eles fizeram isso, mas muitos judeus recusaram a mensagem de Jesus. Como aqueles convidados para o banquete da parábola, muitos judeus recusaram as mensagens de Jesus, um verdadeiro banquete espiritual. Então Jesus mandou ir a todos os povos do mundo para dizer para todos como é o seu evangelho, que diz para as pessoas mudarem de vida, deixaram o pecado, praticarem o bem e assim poderem viver uma vida livre de práticas religiosas sem sentido. Ele disse:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Mateus 28:19, RA.) [6] “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16:15, RA.) [7] “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” (Mateus 24:14, RA.) [8] “Mas é necessário que primeiro o evangelho seja pregado a todas as nações.” (Marcos 13:10, RA.) [9]

 

Tudo que foi dito até agora é suficiente para esclarecer o que é ser um apóstolo. A palavra apóstolo não era nenhuma denominação honorífica. Era um termo grego que significava mensageiro, enviado. [10] Eles foram enviados para levar a mensagem de Jesus, mostrando uma nova religião sem rituais, sem leis humanas, sem crendices, sem dominação, sem discriminação... Uma verdadeira liberdade religiosa para todos os povos da terra.

 

Eles atuaram como mensageiros viajantes de Jesus. Por causa deles, o evangelho foi propagado em uma grande região do mundo antigo, apesar de terem apenas meios de transporte e de comunicação bem rudes. Eles não ficavam a vida toda presos num único lugar, mas iam de região em região, de cidade em cidade, anunciando a mensagem de Jesus, plantando igrejas e ajudando cada uma com seus ensinos, contudo, sem dominá-las. Eram pastores itinerantes. Eles faziam o que muitos missionários fazem. De certa forma, podemos dizer que apóstolo e missionário são a mesma coisa.

Os destinos dos apóstolos, segundo a tradição, foram:

 

·       Pedro foi para Antioquia e Roma, dando origem ao patriarcado de Antioquia e, posteriormente, o de Roma. Orígenes escreveu: "Pedro foi crucificado em Roma com sua cabeça para baixo, como ele mesmo tinha desejado sofrer". [11] [12]

 

·       André pregou na Capadócia, Galácia, Bitínia, Bizâncio, dando origem ao patriarcado de Constantinopla. Depois na Trácia, Macedônia, Tessália e Acaia. Também teria morrido crucificado. [13]

 

·       Tiago, filho de Alfeu (Tiago Menor) cuidou da igreja de Jerusalém cerca de vinte anos. Segundo os historiadores Hegesipo, Clemente de Alexandria e Flávio Josefo, ele teria sido apedrejado até a morte, de acordo com as ordens do sumo sacerdote Ananias. [14]

 

·       Tiago Maior foi para a região da Espanha. Teria voltado a Judéia, sendo condenado à morte por ordem de Herodes [15]

 

·       João esteve na Ásia Menor, onde fundou várias igrejas e teria morrido naturalmente [16]

 

·       Felipe pregou na Ásia Menor. Teria sido arrastado pelas ruas por pagãos e crucificado com a cabeça voltada para o chão. [17]

 

·       Bartolomeu foi para a Mesopotâmia, Pérsia , Egito , Armênia , Licaônia, Frígia e teria ido à Índia. Alguns dizem que ele foi decapitado. Outros dizem que ele foi crucificado de cabeça para baixo. [18]

 

·       Tomé, segundo acreditam, foi pregar na Índia. Teria sido morto por lanças de quatro soldados. [19]

 

·       Mateus andou pregando pela na Arábia, Pérsia e Etiópia, onde teria sido executado por ordem do rei Hirtaco. [20]

 

·       Tadeu anunciou o evangelho na Judéia, Samaria, Iduméia, Síria, Mesopotâmia e Líbia antiga, além de Beirute e Edessa. Esses últimos lugares, para alguns, teriam sido evangelizados por outro Tiago. Teria sido martirizado com Simão, o Zelote, na Pérsia. [21]

 

·       Simão, o Zelote, passou pelo Egito, Mauritânia, Líbia, Numidia, Cirenia, Abjásia e Bretanha. Como já foi dito, ele teria sido martirizado na Pérsia com Tadeu. [22]

 

·       Judas traiu Jesus e se suicidou. (Mateus 27.3-5.) [23]

 

·       Matias, aquele que ocupou o lugar de Judas, pregou na Judéia, Síria, Etiópia. Teria sido apedrejado por ordem do sumo sacerdote Ananías. [24]

 

·       Muitos outros, além dos doze, fizeram trabalhos apostólicos. Em Atos 13 e 14, vemos alguns detalhes da primeira viagem apostólica ou missionária de Paulo e Barnabé. Esses dois não eram do grupo dos doze, mas fizeram excelentes obras nessa área. A rota dessa viagem (observe o mapa, seguindo a linha laranjada) foi a seguinte: Saíram de Antioquia, na Síria, chegaram à ilha do Chipre, nas localidades de Salamina e Pafos. Depois foram para Ásia Menor, alcançando Perge, Antioquia da Pisídia, Icônio, Listra e Derbe. Em seguida, retornaram passando por alguns desses lugares até chegarem novamente ao local de partida. Foi uma viagem de muito tempo, por terra e pelo mar. Depois Barnabé foi para a ilha de Chipre com João Marcos. [25] 

 

 

image

Desc.: Viagens do apóstolo Paulo. Data: 26/04/2010. Autor: JWooldridge. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

·       Em Atos 15.40, até o final do capítulo 18, podemos ver alguns detalhes da segunda grande viagem missionária de Paulo, que levou consigo Silas e Timóteo, que também atuaram como apóstolos. (observe o mapa seguindo a linha roxa.) Saíram de Jerusalém por terra e foram para Antioquia, Tarso, Derbe, Listra, Icônio, Antioquia da Pisídia, Trôade, Filipos, Anfípolis, Beréia, Atenas e Corinto. Depois atravessaram o mar Egeu e chegaram a Éfeso. Em seguida, atravessaram o mar Mediterrâneo e chegaram a Cesaréia e voltaram para Jerusalém. [26]

 

·       Em Atos, nos capítulos 19, 20 e 21, temos a terceira viagem de Paulo. O itinerário dessa viagem (observe o mapa seguindo a linha azul) foi o seguinte: Por terra, saiu de Antioquia, na região da Síria, Tarso, Derbe, Listra, Icônio, Antioquia da Pisídia, Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Trôade, Neápolis, Filipos, Anfípolis, Apolônia, Tessalônica, Beréia e Corinto. Depois voltou passando por diversas cidades de novo até voltar para Trôade. Depois navegou para Assôs, Mitilene, Mileto, Rodes, Pátara, Tiro, Ptolemaida, Cesaréia e voltou para Jerusalém. Depois ele foi preso e levado para Roma. [27]

 

·       Tito foi também cooperador de Paulo. (II Coríntios 2.13; 7.6-16; 8.6,16, 23; 12.18.) [28]

 

Alguns afirmam que não existem mais apóstolos. Apenas aqueles que fundaram a igreja podem ser chamados com esse nome. Argumentam que para ocupar a vaga do suicida e traidor Judas, foi escolhido outro homem, chamado Matias. (Atos 1:15-26.) [29] No versículo 21, Pedro enfatiza: “Portanto, precisamos escolher outro homem para pertencer ao nosso grupo e ser testemunha junto conosco da ressurreição do Senhor Jesus. Deve ser um daqueles que nos acompanharam durante o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós, desde que foi batizado por João até o dia em que foi levado para o céu.” (NTLH.) [30] Essa sensata idéia de Pedro é usada por muitos para dizer que apóstolo é somente quem andou com Jesus, no seu ministério terreno. Dizem que o apostolado já ficou para trás. [31] [32]

Outros defendem a permanente existência de tais pessoas. Alguns dizem que Pedro deu apenas uma sugestão para a escolha de alguém para ocupar a vaga de Judas. Não significa que todo aquele que anda levando o evangelho aos povos tenha que ter tido o privilégio de ter andado com Jesus na Palestina. Se fosse assim, a obra de Deus teria parado. Tiago, apesar de ser irmão de Jesus, não cria nele. (João 7:5.) [33] E depois que se converteu, foi chamado de apóstolo. (Gálatas 1.19.) [34] Não confundir com Tiago, filho de Alfeu e nem com Tiago, filho de Zebedeu. Esse era irmão de Jesus conforme Mateus 13.55. [35]

Muitas pessoas defendem a tese de que não há mais apóstolos, porque pensam apenas no título. Mas se pensarmos na função, então, ai sim, podemos dizer que sempre houve e sempre haverá apóstolos. Afinal, a igreja não pode parar de anunciar a mensagem de Jesus. Será que alguns estão pensando que o IDE proferido pelo Mestre (Mateus 28:19) não serve para mais ninguém? [36]

Existem, porém, alguns defendendo essa crença de maneira distorcida. Alguns acham que apóstolo “é o tal”, o grande homem de Deus, acima dos outros, com uma unção especial. Muitos estão viajando o pais inteiro pregando suas mensagens. Outros viajam o mundo todo levando suas pregações. Esses pregadores modernos, incluindo aqueles que andam em seus aviões particulares, podem ser chamados de apóstolos, pois viajam levando recados para o povo. O problema é que o recado que muitos estão levando não é a mensagem original de Jesus. Estão pregando um evangelho bem diferente. Evangelho judaizado, mercantilizado, paganizado, carregado de rituais sem sentido. São apóstolos, mas apóstolos enviados por si mesmos ou enviados por algum cabeça de igreja institucionalizada. Muitos, na verdade, estão sendo mensageiros dos seus reinos religiosos e não pregadores do reino de Deus. Muitos desse tipo, na verdade, podem ser chamadas de apóstolos institucionalizados. Se estivessem comprando aviões para agilizarem a verdadeira pregação do evangelho, evitando ficar mofando nos aeroportos e assim poder cruzar os céus do mundo rapidamente, eu ficaria calado. Mas estão usando o avião por vaidade, conforto, para saírem por ai vendendo seus produtos, comercializando suas pregações, conquistando clientes para suas igrejas particulares e não exatamente almas para a verdadeira e livre igreja de Cristo. Usam toda infraestrutura patrocinada pela sua igreja, incluindo avião, para sair por ai, fazendo turnê de pregações superfaturadas, vendendo livros, CD’s e DVD’s, além de muitos outros produtos e serviços. Em vez de ajudarem as igrejas, fazem dela um mercado. Muitos são, na verdade, apóstolos vendedores.

 

image

Descrição: Falso apóstolo e mercenário do reino religioso. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Quando Jesus enviou seus primeiros mensageiros, ele disse que eles deveriam anunciar o reino do Céu (o reino de Deus). Disse também para eles realizarem milagres. E concluiu dizendo para fazerem tudo de graça, porque eles também tinham recebido tudo de graça.  Mas eles não precisariam levar nada, porque poderiam ficar hospedados nas casas dos outros, onde poderiam comer e beber o que lhes fosse oferecido, afinal, segundo ele, o trabalhador é digno do seu salário. Não poderiam cobrar pelos seus serviços, mas poderiam aceitar a ajuda dos outros. (Mateus 10.1-11; Lucas 10.1-9.) Mas os mensageiros modernos, geralmente ligados à teologia da prosperidade, não querem pouca coisa. Desejam mais e mais. Não ficam contentes com ajuda. Querem lucrar, superfaturar. Não querem hospedar na casa de nenhum irmão. Não querem qualquer hospedagem. Muitos exigem hotel cinco estrelas.

Muitos estão anunciando, não o Reino do Céu, mas os seus reinos religiosos, os seus produtos e serviços. Fazem milagres? Fazem! O milagre acontece por causa da fé das pessoas. Mas não se iluda! Jesus avisou: “Porque aparecerão falsos profetas e falsos messias, que farão milagres e maravilhas para enganar, se possível, até o povo escolhido de Deus.” (Mateus 24:24, NTLH.) [37] Veja bem: aqui ele não falou de falsos milagres, embora existam falsos milagres, ele falou de falsos homens de Deus, usando de milagres para aproveitarem do povo. Muitos estão propagando os seus milagres que, para serem conseguidos, a pessoa precisa ofertar. Eles não vendem diretamente seus milagres. Mas são estrategistas, comercializando, de maneira camuflada, as bênçãos de Deus.

Apóstolos exploradores, contrariando a ordem de Jesus, sempre existiram desde a igreja primitiva. Paulo, escrevendo aos coríntios, lamenta o trabalho de certos pregadores que iam por lá pregando um Jesus diferente daquele que os apóstolos verdadeiros anunciavam. Um espírito e um evangelho completamente diferentes do Espírito de Deus e do evangelho de Jesus por eles anunciado. Paulo aproveita para lembrar que ele não estava explorando ninguém financeiramente. Mas aqueles falsos apóstolos estavam fazendo isso. Veja o que Paulo diz: “Quando anunciei a vocês a boa notícia de Deus, fiz isso completamente de graça. Eu me humilhei para engrandecer vocês. Será que houve algum mal nisso?” “E, durante o tempo em que estive com vocês, quando precisava de alguma coisa, não incomodava ninguém; pois os irmãos que vieram da Macedônia me trouxeram tudo o que eu precisava. O que aconteceu no passado e acontecerá no futuro é isto: eu nunca exigirei que vocês me ajudem.” “Aqueles homens são apóstolos falsos e não verdadeiros. Eles mentem a respeito dos seus trabalhos e se disfarçam, apresentando-se como verdadeiros apóstolos de Cristo.” (I Coríntios 11.7, 9,13. NTLH) [38]

Hoje em dia, muitos gostam de ostentar o título de apóstolo e ainda chamam os apóstolos bíblicos da mesma forma. Na igreja primitiva, ninguém era chamado com nenhum título juntamente com o nome. Por isso, na Bíblia, não encontramos, por exemplo, a expressão “apóstolo Pedro”, “apóstolo Paulo”. Eles não chamavam a si mesmos e nem os outros com um título honorífico de apóstolo. Esse termo foi empregado apenas com o sentido de serem mensageiros do evangelho do reino de Deus proposto por Jesus Cristo. (Romanos 1:1; 11:13; 1 Coríntios 1:1; 9:1-2; 15:9; 2 Coríntios 1:1; Efésios 1:1; Colossenses 1:1; 1 Timóteo 1:1-2; 2:7; 2 Timóteo 1:1; 1:11; Tito 1:1; Gálatas 1:1; 1 Pedro 1:1; 2 Pedro 1:1.) [39]

Alguns consideram que a palavra apóstolo tem um sentido mais profundo. [40] Pesam isso talvez por causa do desejo de superioridade. Mas ser apóstolo não é ter um cargo ou uma profissão especial na igreja. Não é um título honorífico. É apenas uma atitude de quem possui o dom para sair por todos os lados plantando e edificando igrejas. Aqueles que têm essa vocação dada por Deus podem ser chamados de enviados, mensageiros ou apóstolos. Mas não são e nem podem ser enviados de alguma organização religiosa ou de algum pastor superior. Não é um pregador famoso que anda tentando ganhar dinheiro com suas turnês e conferências gospel. Não é aquele que simplesmente adquiriu um diploma com esse título. Apóstolo é aquele quem tem o dom divino para ser representante de Cristo em diversos lugares, pregando o verdadeiro evangelho e ajudando aqueles que decidem seguir o que Cristo mandou. Jesus deu dons às pessoas. Ele escolheu alguns para terem o dom de serem apóstolos. (Efésios 4.8-1.) [41]

Alguns acham que o apóstolo está em primeiro lugar no corpo de Cristo, a igreja. Dizem isso baseados em I Coríntios 12.27-28, RA, que diz: “Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo. A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.” (O grifo foi eu quem coloquei.) [42] Por causa disso, acham que são melhores. Mas Paulo disse que eles foram estabelecidos primeiros, não no sentido de serem preeminentes, mas porque tudo começou com os doze mensageiros, que eram homens simples, que tiveram o privilégio de serem convidados pelo Mestre para darem o pontapé inicial. Não é nenhuma posição mais elevada. Na mesma carta, Paulo escreveu: “Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos, como a homens.” (1 Coríntios 4:9, RA.) [43]

Deixando de lado as brigas teológicas e refutando o trabalho dos falsos apóstolos, podemos afirmar que ainda existem pessoas que gostam de viajar pelo mundo pregando o verdadeiro evangelho e ajudando quem está nele. Seja lá qual for o título dado as essas pessoas, o certo é que elas fazem um trabalho itinerante como os apóstolos da Bíblia. E os que querem mesmo divulgar o reino de Deus não estão preocupados com o título. Isso não é importante. Não vamos discutir se existe ou não o dom e a função de apóstolo nos dias atuais. Mas não podemos negar que muitos ainda fazem trabalhos como pregadores viajantes de Jesus. Estão plantando e edificando novas igrejas locais, da mesma forma que os apóstolos primitivos fundaram as primeiras igrejas nas terras do mundo antigo. Esses, independentes de qualquer titulo, são mensageiros de Jesus.

Para os cristãos que procuram defender a verdadeira mensagem de Jesus, diante dos falsos apóstolos, termino deixando essas palavras do apóstolo João: “Eu sei o que vocês têm feito. Sei que trabalharam muito e aguentaram o sofrimento com paciência. Sei que vocês não podem suportar pessoas más e sei que puseram à prova os que dizem que são apóstolos, mas não são, e assim vocês descobriram que eles são mentirosos.” (Apocalipse 2:2, NTLH.) [44]

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br



[1] Os detalhes dessa parábola estão em Mateus 22.1-14. Os trechos citados são da NTLH.