Translate, traduzir

Hierarquia religiosa (parte IV)

Continuação do post anterior.

 

Livres dos Fardos Religiosos

 

Sistemas de governo eclesiásticos. A Reforma da Igreja no século XVI não apagou a idéia de haver uma hierarquia eclesiástica. As igrejas reformadas e as futuras igrejas surgidas a partir de então fizeram grandes mudanças. Mas a hierarquia, embora mais simplificada, continuou existindo nas diversas igrejas reformadas. Além do sistema romano, surgiram novos sistemas de governo. Vamos ver os principais.

 

Sistemas de governo eclesiásticos

Romano

Criado a partir do início do século II, esse sistema, com algumas alterações, possui a seguinte formação básica atual: Papa, cardeais, arcebispos, bispos, padres e diáconos. Não se enquadra dentro do Novo Testamento.

 

Ortodoxo

É semelhante ao sistema católico, porém, não existe papa e cardeais e há patriarcas. [1].

 

Presbiteriano

Nesse sistema, a igreja é governada através de uma hierarquia de concílios.

 

·       Cada igreja local realiza o concílio local, conhecido também como sessão ou conselho.

·       As igrejas de uma região formam o concílio regional, chamado de presbitério.

·       Os presbitérios formam o sínodo.

·       Por último, temos a assembléia geral ou supremo concílio. [2].

 

Congregacionalista

Nesse, cada igreja local é independente de qualquer outra igreja e livre de qualquer hierarquia de líderes. Os líderes da igreja local, pastor, bispo ou presbítero, não importa a designação dada, estão todos na mesma posição e são simplesmente servos da igreja. Essa é a posição geral de várias igrejas congregacionais. Esse sistema combina com a igreja primitiva. Mas, na prática, nem sempre é assim. Muitas igrejas congregacionais também possuem hierarquias. [3].

 

Representativo

Esse é semelhante às câmaras de vereadores e deputados. Os membros da igreja, através do voto, escolhem seus representantes por certo período de tempo. As decisões da igreja são tomadas por meio desses representantes eleitos. É usado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. [4].

 

Episcopal

Esse, adotado pela Igreja Anglicana, Igreja Metodista, Igreja Episcopal, Quadrancular, dentre outras, tem Cristo como o cabeça da Igreja e diz que os bispos são os sucessores dos apóstolos e têm poderes sobre os presbíteros, que são os líderes das igrejas locais. Dessa forma, temos bispos, presbíteros e diáconos. Não é a restauração da igreja do tempo dos apóstolos, mas da hierarquia do século II. [5].

 

Celular

Pastor local, às vezes, abaixo de outro pastor.

clip_image002[11]

Esse sistema, que parece ser a restauração do método da igreja do Novo Testamento, é, na verdade, o prolongamento da hierarquia já existente, estratificando ainda mais a igreja.

Pastor de distrito

Supervisor de área

Supervisor de setor

Líder de célula

Auxiliar do líder de célula

Membros da célula [6], [7], [8].

 

 

Cobertura espiritual. Alguns, tentando eliminar a realidade de suas estruturas hierárquicas, usam a expressão cobertura espiritual. [9], [10]. Dessa forma, alegam que os cristãos estão sob a cobertura espiritual do pastor, o pastor sob a cobertura de um bispo regional e assim por diante até chegar ao cabeça da denominação. Esse, por sua vez, se sente tão poderoso que fica debaixo da cobertura de Deus sem intermediários humanos. Na verdade, tudo não passa de mera hierarquia camuflada. Todos nós estamos debaixo da cobertura de Deus. E todos nós precisamos dar cobertura uns aos outros, materialmente e espiritualmente. Mas nada disso tem qualquer ligação com hierarquia. Veja o que o Novo Testamento diz:

 

·        “Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo.” (Gálatas 6:2, NTLH.) [11].

·        “Portanto, animem e ajudem uns aos outros, como vocês têm feito até agora.” (1 Tessalonicenses 5:11, NTLH.) [12].

·        “Não deixem de fazer o bem e de ajudar uns aos outros, pois são esses os sacrifícios que agradam a Deus.” (Hebreus 13:16, NTLH.) [13].

·        “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e façam oração uns pelos outros, para que vocês sejam curados. A oração de uma pessoa obediente a Deus tem muito poder.” (Tiago 5:16, NTLH.) [14].

·        “E vocês, jovens, sejam obedientes aos mais velhos. Que todos prestem serviços uns aos outros com humildade, pois as Escrituras Sagradas dizem: “Deus é contra os orgulhosos, mas é bondoso com os humildes!”” (1 Pedro 5:5, NTLH.) [15].

 

Observe que ninguém está acima de ninguém. Todos devem dar cobertura uns aos outros. Até mesmo aquele pastor, lá em cima, no topo da hierarquia, precisa da ajuda daquele irmãozinho, aparentemente insignificante.

 

A sociedade feudal e eclesiástica européia. Além da hierarquia eclesiástica, na Idade Média, mais precisamente entre os século IX e XIII, na Europa, a igreja ainda se envolveu com o feudalismo. Foi um sistema social, político e econômico, onde a sociedade européia ficou dividida em diversas classes, uma dominando a outra.

 

A sociedade feudal e eclesiástica européia

O imperador e o papa

 

clip_image003[7]

O clero (padres, bispos) e os nobres (duques, condes, viscondes, barões e outros nobres),

Os camponeses ou servos

Descrição: A estratificação da sociedade feudal. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

1.     No ponto mais alto, ficavam o imperador e o papa.

2.     Depois vinham o clero (padres, bispos) e os nobres (duques, condes, viscondes, barões e outros nobres), todos isentos de impostos.

3.     Por último, na classe mais inferior, estavam os camponeses ou servos. Esses pagavam todos os impostos. [16].

 

A posição privilegiada do clero na sociedade européia continuou ao lado da aristocracia. No século XVIII, na época da Revolução Francesa, as classes dominantes eram a nobreza, a burguesia e, é claro, o clero. A nobreza e os membros do alto clero possuíam as melhores e maiores propriedades. E os camponeses tinham que pagar os impostos reais, os dízimos da igreja, além das obrigações que tinham com os donos da terra. A posição privilegiada do clero fez com que muitos franceses, enraivecidos, levassem diversos lideres da Igreja à morte trágica. [17].

 

A doutrina sobre a hierarquia dos anjos. Ambrósio e Jerônimo no século IV, Gregório Magno no século VI, Isidoro de Sevilha no século VII e Tomás de Aquino no século XIII, além do Pseudo-Dionísio, todos elaboraram a doutrina dos anjos, formando uma hierarquia espiritual abaixo de Deus, cada um com algumas variações. [18]. Além desses, o bispo João Damasceno (676-749) considerado um dos Doutores da Igreja, em sua obra “Uma Exposição da fé ortodoxa”, livro II, capítulo III, expõe a seguinte hierarquia angelical, formada de três grupos de três:

 

Hierarquia dos anjos segundo a doutrina de várias igrejas

A divindade

Deus Pai

 

clip_image004[7]

1º grupo

1. Serafins;

2. Querubins;

3. Tronos.

2º grupo

4. Dominações;

5. Potestades;

Autoridades (Virtudes).

3º grupo

7. Governantes (Principados);

8. Arcanjos;

9. Anjos. [19].

Descrição: Hierarquia dos anjos. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

  

Muitos estão dizendo que o bispo Clemente de Roma, no século I, fez uma lista semelhante, na obra “Constituições Apostólicas.” Mas na verdade, essa obra é do século IV, falsamente atribuída a Clemente. [20], [21], [22]. Então podemos dizer que essa idéia surgiu pra valer a partir do século IV, quando a Igreja já havia atolado nos conceitos de hierarquia romana. Eles fizeram isso talvez influenciados pelas hierarquias existentes dentro do Império Romano e da Igreja. Essa doutrina serviu para reforçar a prática da hierarquia terrena da igreja, que seria uma réplica da hierarquia celestial. Não estamos negando e nem afirmando a existência de uma hierarquia angelical. Mas podemos dizer que ela não é muita clara e que talvez possa ter sido criada sob as influências das hierarquias políticas e militares humanas. Seria mais um antropomorfismo, onde as pessoas tentam explicar Deus com características meramente humanas.

 

Como podemos ver, depois de tudo que vimos até aqui, a igreja deixou de influenciar o mundo. Pelo contrário, o mundo a influenciou. Deixou de ser um exemplo para causar mudanças no mundo, mas deixou o mundo causar mudanças em sua estrutura. O uso de coisas mundanas sempre causou estragos na igreja. Foi assim que os exemplos das hierarquias romanas vieram afetar alguns bispos das principais cidades romanas. Hoje a igreja Oriental tem vários patriarcados e a Igreja Católica possui várias arquidioceses e dioceses dentro desse conceito. Essa idéia foi parar em diversas outras igrejas que surgiram depois do século XVI. Hierarquia virou então uma tradição difícil de ser banida da mente das pessoas. E o pior: essa idéia de um ficar por cima do outro afetou a sociedade como um todo. Hoje, nos diversos setores da sociedade, muitos têm sede de dominar o outro. Aprenderam com a Madre Igreja, não com Jesus, pois ele ensinou diferente. Essa tradição faz as pessoas perderem a humildade, se enchendo de orgulho, preconceito e discriminação. Dessa forma, a idéia de Jesus de ter uma igreja sem dominadores foi jogada fora. A doutrina da classe dos patrícios de Roma ocupou o lugar da doutrina de Cristo. E muitos querem dominar através da religião, da política e do dinheiro.

 

Muitos acham que a igreja triunfou com o imperador Constantino. Mas não foi verdade. Com ele, ela alcançou os palácios e as riquezas de Roma, mas jogou fora o simples e precioso evangelho puro de Jesus. Outros acham que a era constantina foi o fim da verdadeira igreja. Mas é outro engano. A igreja começou a se desviar dos princípios cristãos já no início do século II, se arruinou no século III e teve o golpe fatal no século IV com o apoio de Constantino e com a sua oficialização decretada pelo imperador Teodósio. Nesse período, muitos apologistas defenderam suas doutrinas e seus dogmas, colocados em odres velhos, mas não defenderam o verdadeiro vinho novo. Com o apoio de Roma, viraram autoridades e impuseram suas idéias com arbitrariedades. Incrustados na nobreza romana e elevados nos pedestais hierárquicos, não tinham mais humildade para lavar os pés uns dos outros. Quem era líder apenas ditava os dogmas, e fim de papo.

 

Uma cabeça humana dentro de uma organização religiosa pode ser fatal. Todos nós estamos sujeitos ao erro. Quando a cabeça adoecer (errar), todo o corpo ou toda a organização poderá adoecer ou errar também. Isso tem acontecido com a igreja ao longo dos anos.

 

Cristo, sem depender de uma organização religiosa, escolhe as pessoas como ele quer. Ele escolhe alguns para serem apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e ainda outros para pastores e mestres. Ele faz isso para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério e para a edificação do seu corpo. (Efésios 4.11-12.) [23]. Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. (1 Coríntios 12:4-5.) [24]. Cristo pode colocar em cada grupo de cristãos, pessoas que possam apascentar e ensinar sem dominar. Além disso, se não somos cabeça, mas membros do corpo de Cristo, então, podemos ensinar e admoestar uns aos outros. (Colossenses 3.15-16.) [25]. Mas jamais alguém pode impor qualquer coisa sobre as pessoas como se fosse o cabeça de qualquer comunidade cristã. Por isso, na igreja livre, conforme o evangelho original de Jesus, ninguém está acima de ninguém. Não existe nenhuma hierarquia. Com todo respeito, hierarquia não tem nada a ver com Jesus. É coisa do Império Romano. Mas o reino de Jesus, como ele disse, não é deste mundo. (João 18:36.) [26].

 

 

image

Descrição: O fardo da hierarquia ou a liberdade. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Todos têm o direito de escolher a sua religião. Não quero que nenhum católico, ortodoxo ou membro de qualquer outra igreja que ainda possui resquícios do sistema romano sofra qualquer tipo discriminação ou preconceito. Devemos amá-los e respeitá-los como seres humanos. Devemos tratar com respeito todos os membros de qualquer hierarquia. Apesar de ser algo, creio eu, desnecessário, as pessoas se tornaram vítimas de um sistema tradicional de longos séculos, e não é fácil se livrar de tudo isso da noite para o dia.

 

Eu não quero ser seu líder, atuando como cabeça. Como membro do corpo de Cristo, apenas estou usando o meu dom para ajudar os outros a serem livres. Da mesma forma, preciso da ajuda dos outros que tem dons diferentes do meu. Vamos então, juntos, cada um como pode, edificar o corpo de Cristo sem nenhuma dominação. Liberte-se de Roma. Abrace o verdadeiro evangelho. Você é livre para ficar debaixo de qualquer hierarquia religiosa que quiser. Mas tem o direito de saber que o verdadeiro e original evangelho de Jesus não depende de nada disso. Estou mostrando tudo isso para que possa ver a diferença do evangelho original em relação ao evangelho romanizado. Assim poderá fazer a sua escolha consciente, decidindo seguir o evangelho conforme era no princípio ou o evangelho modificado. Lembre-se: você pode ser verdadeiramente livre de tudo isso.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br